Fitas de distanciamento social em transportes públicos

Neste momento, manter a sua distância é o melhor "remédio"

Pessoas

"Até há pouco tempo, nunca acreditaríamos que as nossas fitas adesivas poderiam tornar-se tão importantes para as marcações no chão. Perante a crise do coronavírus, agimos e doámos 100 quilómetros de fitas de distanciamento social a onde são atualmente mais necessárias: os hospitais", explica Dr. Norman Goldberg, CEO da tesa SE.

Text Gunnar von der Geest

Somos criaturas sociais. Os estudos mostram: a proximidade e o contacto físico são muito bons para nós. Nos últimos anos, as equipas de investigação internacionais descobriram que, por exemplo, abraçando alguém de quem gostamos durante 20 segundos, reduz significativamente a nossa pressão arterial e o ritmo cardíaco e reduz as hormonas do stress. No entanto, por vezes, é melhor distanciarmo-nos de outras pessoas. Sentimos isto profundamente durante a crise do coronavírus: Enquanto não houver uma vacina ou medicação contra o vírus, a melhor solução é manter a distância! De acordo com as recomendações de virologistas de renome, precisamos de manter pelo menos 1,5 a 2 metros de distância.

produção_tesa
Sempre a rolar – na fábrica da tesa em Offenburg – a maior fábrica de produção da tesa em termos de volume –, são fabricados mais de 2.000 artigos diferentes. Atualmente, as fitas de advertência – concebidas para atrair a atenção – estão com uma procura particularmente elevada.

Programa de ajuda

O fornecimento de fitas adesivas de advertência faz parte de um grande programa de ajuda recentemente lançado pelo Grupo Beiersdorf, ao qual a tesa pertence. Entre outras coisas, a empresa produz 1.000.000 litros de desinfetante em cinco continentes para instituições públicas centrais e serviços de emergência em todo o mundo.

Em muitas áreas da vida pública – por exemplo, em supermercados, estações ferroviárias, aeroportos e especialmente em hospitais – as fitas adesivas coloridas servem como marcações no chão e fornecem orientações para o cumprimento das regras de distanciamento. Uma grande parte das chamadas fitas de distanciamento social, que atualmente estão em toda a parte, provém das fábricas tesa em Offenburg (Alemanha) e Concagno (Itália). No passado, muitas empresas usavam estas fitas adesivas principalmente para marcar áreas perigosas, por exemplo, em armazéns e locais de produção.

"Atualmente, as nossas fitas de marcação de pavimentos são quase mais conhecidas do que gostaríamos",

… explica Dörte Besinger, que é responsável na tesa SE pela distribuição de doações para hospitais. "Todos nós preferiríamos, sem dúvida, se as tiras adesivas de advertência não fossem requisitadas. No entanto, tivemos o prazer de ouvir muitas clínicas dizer que a nossa fita adesiva chegou ao lugar certo exatamente no momento certo e isso ajudou-as no seu importante trabalho."

 

Recentemente, a produção da tesa “reservou” 3.000 dos rolos populares com um comprimento total de 100 quilómetros para o abastecimento dos hospitais. Apenas uma semana após o lançamento da oferta, foram abastecidos mais de 30 hospitais na Alemanha. Os primeiros beneficiários incluem as clínicas universitárias de Hamburgo (UKE), Berlim (Charité), Marburg, Colónia e Munique. 

Instagram - Asklepios
O hospital Asklepios em Hamburgo Wandsbek agradece à tesa com esta publicação no Instagram. O hospital recebeu de presente muitos metros de fita de distanciamento social. A fita é claramente visível no chão e ajuda a manter a distância de segurança.
contactofísico

Contacto físico

O contacto físico não é apenas bom para os indivíduos, mas também para a dinâmica de grupo. Os cientistas descobriram que há menos agressão em círculos de amigos onde tocar é normal e comum. Mesmo em equipas desportivas, incentivar os cumprimentos com um “high-five” ou palmadas ligeiras no ombro, costas ou nádegas aparentemente têm um efeito positivo: os grupos com muito contacto físico mostram um maior espírito de equipa e são, em muitos casos, mais motivados, mais aventureiros e mais bem-sucedidos.